Bitcoin é bolha, mas não é pirâmide

Home / Criptografia / Criptomoedas / Bitcoin é bolha, mas não é pirâmide

Resposta a As criptomoedas e os crimes contra a economia popular e Salve se das criptomoedas enquanto é tempo por Luis Nassif.

Caro Nassif,

Eu concordo que Bitcoin não tem lastro, não é dinheiro, e vive uma bolha. Ainda, existem muitas cripto-moedas tentando copiar a mesma idéia, cujo único objetivo óbvio é enriquecer seus criadores. No entanto, também existem cripto-moedas mais sérias, que não são bolha. Ethereum é um bom exemplo. Não vou elaborar isso agora, mas quem pensa que Bitcoin representa todas as cripto-moedas está muito enganado. Neste sentido considero os títulos dos seus artigos, que se referem a “cripto-moedas”, genéricos demais; eles deveriam se restringir a Bitcoin apenas.

Quanto a Bitcoin, eu não concordo que é pirâmide ou crime contra a economia popular, como você disse repetidamente. Para ser um crime, tem que ter um autor, um responsável. Quem seria neste caso? “Satoshi Nakamoto”? A casa de câmbio que compra e vende Bitcoins? Ou simplesmente o próprio consumidor, que entra num negócio que ele não entende direito?

Já em 2012 o BCE determinou que Bitcoin é legal

Vale a pena ler integralmente o relatório sobre Bitcoin de 2012(!) do Banco Central Europeu [1], uma autoridade cuja reputação no mínimo se compara à de Paul Krugman e Nouriel Roubini. A página 22 (pdf: 23) do relatório é dedicada à justificativa teórica de Bitcoin, referindo-se à escola austríaca, que se posiciona contra “fiat money” em favor do padrão de ouro. Voltarei ao papel de ouro mais tarde.

A questão se Bitcoin é uma pirâmide (“Ponzi scheme”) é extensivamente discutida na página 27 (pdf: 28). No terceiro parágrafo, diz que, em teoria, não existe um organizador central que pode minar (burlar) o sistema Bitcoin e desaparecer com os fundos, condição necessária para ser um “Ponzi scheme” . Mas admite, no parágrafo seguinte, que existe uma assimetria de informação, devido à alta complexidade do sistema Bitcoin, e portanto é um esquema financeiro de alto risco. Ou seja, entre por sua própria conta e risco.

Seguindo esta linha, o Banco Central da Holanda decidiu que Bitcoin não é dinheiro, e a Autoridade Financeira decidiu que não é produto financeiro. Em maio de 2014 a justiça holandesa determinou que o Bitcoin deve ser tratado como se fosse um metal precioso, como ouro ou prata [2]. Em outras palavras, é um meio de troca, mas não é dinheiro. Desses metais o mercado determina um valor, e Bitcoin não é diferente.

Bitcoin é permitido no Japão, EUA e Europa

Observe que existem casas de câmbio para Bitcoin no mundo inteiro, em legislações muito atentas a essas novas tecnologias. Por exemplo, o documentário Banking on Bitcoin do Netflix (que todo mundo deve assistir) mostra como as autoridades financeiras de Nova York explicitamente permitiram Bitcoin e seus casas de câmbio.

Portanto, a observação que eu faço é que todos os países europeus, os Estados Unidos, e Japão chegaram ao consenso que Bitcoin em si é legal. A preocupação deles, como mencionado no relatório do BCE e recentemente repetido no G20, é com suas transferências não-rastreáveis, incentivando sonegação de impostos, pagamentos de drogas, lavagem de dinheiro etc. Mas repare, quando o FBI fechou Silk Road em 2013, ele poderia ter fechado Bitcoin também. Mas optou para deixá-lo aberto, preferindo tolerar e entrar com legislação, ao invés de lidar como uma reencarnação de Bitcoin 2.

E agora você me diz que é ilegal? Então, será que todas estas pessoas e autoridades estão erradas e que você tem razão? Com quais argumentos? Recorrer a Krugman ou Roubin não adianta. Krugman disse que Bitcoin é uma bolha (concordo) mas não que é ilegal [3]. Nouriel Roubin vai além, dizendo que o blockchain também é uma bolha (tendo a concordar) mas tampouco disse que Bitcoin é ilegal. Na verdade, nos EUA a questão da legalidade de Bitcoin já foi decidida alguns anos atrás, como Krugman e Roubin bem sabem.

 

Qual é o valor do Bitcoin?

Então, qual é o valor de Bitcoin? Antes de responder, deixe-me fazer mais perguntas:

Qual é o valor de um quadro de Van Gogh? Qual é o valor de uma tulipa negra?

Qual é o valor de um grama de ouro? Qual é o valor do Empire State Building? Qual é o valor daquela chácara no meio da mata? Como se diz em holandês: é o que o tolo paga. Ou seja, é o mercado que decide . Como disse o relatório do BCE: “[Bitcoin’s] exchange rate with respect to other currencies is determined by supply and demand and several exchange platforms exist.”

Uma diferença óbvia é que ouro e prata têm uma realização física, enquanto Bitcoin é apenas uma sequência de bits. Mas isso é um argumento? O negócio da Google e Facebook também é “apenas” uma sequência de bits. Um documento assinado digitalmente com um certificado digital da ICP-Brasil também é “apenas” uma sequência de bits. E por outro lado, aposto que a grande maioria das pessoas que negociam ouro, nunca sequer viu uma barra do ouro na vida. Eles simplesmente negociam documentos, promessas. E se esses são digitais, sequências de bits.

Vale lembrar que, no passado, a humanidade usou vários objetos como dinheiro: conchas, pedras, contas, colares etc. (como Pato Donald já sabia [4] :-). O caso dos Yap seja talvez o caso mais curioso — o seguinte vídeo no YouTube faz uma analogia interessante com Bitcoin: [5]. Também vale a pena ler o artigo do prêmio Nobel Friedman que, além de citar o dinheiro dos Yap, cita uma transação de ouro entre França e os EUA em 1933 (antes do Bretton-Woods e o “fiat money” de 1971), no qual o ouro não foi transportado mas ficou em Fort Knox, num armário separado com uma etiqueta: “Ouro da França” [6 , final de pg. 2 ].

Como o valor de ouro é sujeito aos caprichos do mercado, o Bitcoin também é. Concordo que Bitcoin é especulação de alto risco. É uma bolha? Sim. É volatil? Sim. É tolice? Sim, porque a grande maioria das pessoas nem entende o que é Bitcoin, mas quer entrar somente porque o valor está subindo, o que faz a valorização subir ainda mais. Repito: entre por sua própria conta e risco.

Mas não vejo onde está a pirâmide ou o crime contra a economia popular. Se pessoas optam por comprar ações numa empresa que não dá certo e levam prejuízo, eles também não podem reclamar no Procon. E apostar na MegaSena também é permitido, enquanto as chances de perder são bem maiores que no Bitcoin. Se amanhã, ao invés de comprar Bitcoin, todo mundo comprasse ouro, o valor de ouro também subiria para patamares atmosféricos, mas você não reclamaria, provavelmente. Seria uma bolha, mas não uma pirâmide, estou certo? Já houve este tipo de reclamação, de que o preço do ouro do mercado não tem relação com a realidade [7]. Então, em termos económicos, onde exatamente está a diferença intrínseco entre ouro e Bitcoin (além da volatilidade atual do Bitcoin, claro)? Eu não consigo ver.

 

Conclusão

Resumindo: observando outros países onde Bitcoin é um fenômeno há mais tempo, chego a conclusão que neles Bitcoin é considerado legal. Então não consigo entender como você chega à conclusão que seria um crime contra a economia popular.

Um abraço,

Jeroen van de Graaf

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *